terça-feira, 30 de agosto de 2011

Com o coração partido


Neste momento meu coração chora e derramo minhas lagrimas para mim mesma. Sim estou chorando. Uma sensação de desamparo e tristeza toma conta de mim. Por mais que eu tente evitar , não consigo controlar meu coração. Para muitas pessoas posso parecer exagerado e tremendamente dramática. Mas não para mim, não para meu coração de mãe. Estou triste comigo mesma também, e me divido entre sensações de pena, tristeza, desapontamento e desamparo. Vocês conhecem minhas lutas com relação ao meu filho. Conhecem o comportamento dele e como tenho sofrido com isso. Mas também sofro demais com a falta de concentração de que o impede de aos 8 anos, já caminhando para os 09 anos, e ainda não saber ler. Isso mesmo ele não sabe ler. e essa frase me entristece de mais e parte meu coração. Pode ser uma frase isolada e sem muitos dramas, mas ninguém imagina como é dolorosa para uma  mãe, a missão de ensinar seu filho a ler quando ele não consegue responder aos ensinamentos das lições. Por exemplo: ele pode até ler algumas pequenas palavras como bola, bolo, bala....mas não sabe ler: ai, ei, oi, ui. Tento com ele: "Pedro um E e um I é EI. Repita !  E ele diz: E, I = GUI. E isso não é apenas uma vez, mas inúmeras vezes, mesmo depois de repetir incontáveis vezes. Então, já cansada , me descontrolo e choro. Tenho tomado para mim a função de alfabetizá-lo junto com a escola, pois não gosto muito do método de ensino do meu marido que já entrega as respostas mastigadinhas. Estou frágil, reconheço que com outros problemas que me têm afligido, e juntando essqa dificuldade dele, me sinto desabar. Temos nos sacrificado tanto, ele também, mas não temos conseguido bons resultados, pelo menos não resultados que sejam mais visíveis. 
E aí vem me irmã, contando todos os avanços do netinho dela, que diga-se de passagem tem uma inteligência incomum para a idade dele, me parece que é um pequeno gênio de 4 anos, e me faz lembrar, mesmo inconscientemente de tudo o que meu filho não. Não estou com inveja, amo meu sobrinho... mas me entristece às vezes quando falo alguma coisa do Pedro e ela diz: "Ah, mas ele tem 8 anos!"...Mas são 8 anos tão diferentes do comum...quer dizer nem tanto para algumas e tanto para outras... Acho que devo estar louca, pois antes isso não me incomodava. Devo realmente estar de TPM.
O que aflige meu coração e me deixa triste comigo mesma é o fato de saber que por outro lado. muitas mães gostariam de ter apenas esse problema que tenho com ele. Como uma amiga que tem um filho de 13 anos que nem ao banheiro vai sozinho, que não raciocina e problemas mentais sérios.... e penso : nossa , ela sim sofre, não eu. E ainda tenho coragem de me descontrolar.... e então me sinto muito má e ingrata. Viram como me sinto confusa?
eu só espero uma coisa: Em Deus. E que Ele me faça sobreviver à infância do Pedro com sabedoria, para que eu possa colher excelentes frutos em sua vida adulta, me realizando através das vitórias dele. Não é isso que toda mãe almeja?

11 comentários:

Lála 8 de setembro de 2011 23:23  

É tao dificil ser mae, eu sei, tambem fui mae a primeira vez e fui mae de uma criança especial.
Meu filho viveu exatos 21 anos,29dias e 11horas.
Agora sou mae de braços vazios, mas ainda assim sou mae!
Queria tanto que vc pudesse compreender e acalmar todas essas angustias e frustaçoes que sente. Queria tanto, mas tanto que vc conseguisse desvincular TEU FILHO do resto do mundo e nao querer pra ele as coisas como "elas tem que ser".
Cada criança é UNICA, e os pais precisam aprender isso e amar isso sem tantas agonias,sem tanto tem que aprender isso ou aquilo pq ja tem idade pra aprender...
Querida mae, queria tanto que vc conseguisse pensar que os filhos nao saem de uma fabrica todos iguaizinhos (e é exatamente isto que é o bonito, ELES SAO UNICOS!) e educar-los tem que ser UNICO tambem.
Nao se preocupe mamaezinha, tudo tem seu tempo debaixo deste céu!
Aceite um conselho: seja apenas MAE, procure uma professora extra.classe para teu pequeno, deixe que alguem nao envolvido emocionalmente com ele se encarregue disso, nao coloque prazos e comece a disfrutar do teu filho, só como filho e nao aluno.
Sinta-se abraçada,
Iara

Mara Rejane. 24 de novembro de 2011 13:05  

Olá querida!! Há muitos não vinha por aqui. Sou a Mara e estou com cabelos pretos no perfil de seguidora, agora estou um pouco loirinha falsa hehe...
Amiga tenha fé em Deus, ame seu filho e se orgulhe dele, certamente ele ainda te dará muitas alegrias, assim espero.;

Bjo.

Ana Maria Braga 18 de dezembro de 2011 17:11  

Deus não dá um fardo maior do que possamos aguentar. Paciencia minha conterranea. Vc. é forte e vai vencer.
Boa semana. Bjs

Cristiane Félix 18 de dezembro de 2011 17:45  

Oi Ana, que bom vc ter gostado do meu blog. Vim te conhecer e quando li seu texto só pensei em uma coisa.
Deus tem o tempo certo pra todas as coisas,e pode ter certeza que na hora certa ele vai agir.
Estou aqui torcendo por vcs!
Abraço carinhoso.
Cris.

Geninha 4 de janeiro de 2012 16:09  

É difícil opinar pq cada caso é um caso. O meu filho tem 13 anos e tem dificuldades de aprendizado. A psicopedagoga me pediu, para esse ano, um laudo médico do instituto de dislexia, ela tem suspeita de que ele é disléxico... Sabe, eu não descabelo por conta disso, sei que meu filho tem outras e muitas qualidades, tento explicar pra ele que algumas pessoas tem inteligencia emocional, outras racional, outras social, outras corporal, a cada um Deus um tipo de capacidade. Acredito nisso e sigo em frente. :)

Se seu filho não tem problemas, que tal tentar ensinar ele a ler no computador (joguinhos educativos), minha filha aprendeu assim e aos 5 anos de idade ela já era alfabetizada. :)

Bjs!
Boa sorte!

Maga 16 de janeiro de 2012 15:16  

MÃE!!
É uma pequena palavra, de 3 letrinhas apenas... MÂE é a maior palavra que o mundo tem!
Amiga,tente vencer com o Amor, dê Amor, sempre muito Amor, responda à sua criança usando o Amor...
Não posso falar como pessoa entendida no teu problema, tenho 2 filhos que graças ao Pai (a Quem agradeço todos os dias), sempre foram saudáveis. Mas sou mãe, posso entender teu problema, tua dor, posso rezar por ti e pelo teu filho. Mas não esqueças, ele vai vencer, tu vais vencer, não esqueças que Pedro é "rocha" e rocha é dura e terna, é invencível.
Continua sempre a lutar por e com ele, és o seu ponto de referencia, és o deus que ele conhece. E ajudando-o, vais ajudar-te a seres mais compreensiva, mais conhecedora da tua força!
Que Deus vos ajude.
Um beijo da
Maga

Adriana Moura - Amoarte 26 de janeiro de 2012 12:08  

Oi Ana tudo bem contigo? Desculpa, admito que estou devendo visitas, as vezes entro vejo os novos post mas não comento. Mil desculpas, fica triste comigo não ta bom! Há quanto a publicação claro, deve publicar sim, eu não conhecia o poeta Antonio Barreto, só recebi um email e adorei o texto, achei que cabe bem ao programa. Bjo amiga fica com Deus.

Lívia 6 de fevereiro de 2012 05:01  

Oi Ana, vim agradecer pela visita no meu blog.

Com relação ao seu relato, não perca a fé em Deus e nem tente comparar seu problema com o problema dos outros. Não se culpe por sofrer com isso.

Entrega seu sofrimento a Deus porque no momento certo, Ele abençoará você e sua família.

E quanto a seu filho, tenha certeza que o sofrimento por não saber ler é muito menor do que a alegria que ele sente por ser tão amado pelos pais.

Beijos e uma linda semana p vcs!!!

Um amor de casa 29 de março de 2012 08:49  

Oi Ana vim agradecer sua visita, amei seu comentario. Num esquenta tanto assim não, meu filho tem 13 anos e esse ano ele é repetente na 7° serie, chorei demais tbm mas pta tudo tem um tempo si vc faz sua parte Deus fará a Dele. Só uma dica que te dou não chore na frente dele, não passe insegurança pra ele, isso pode piorar. Bjosss!!!
Melhoras e si cuida moça.

vida 30 de março de 2012 17:29  

É minha querida, nós mães..... o meu já em 33 anos e a 13 um problema serissimo na perna pegou infecção hospitalar e hoje apodrece e a gente nada pode fazer, tudo é dificil ele luta com todas suas forças mas sabemos que ao olhar dos médicos é impossivel ai lutamos com nossa crença somos budistas ele esta entrando agora aos poucos ele esta melhorando mas vamos ver até onde vai o carma dele,não fique assim muito pior se vcs ou nós chorassemos por ter um filho marginal que faz mal as outras pessoas o meu é super trabalhador um querreiro do bem,força amiga,bjssssss

Raquel Lautenschlager Santana 14 de maio de 2012 10:56  

Oi Ana, gostei muito do seu comentário em meu blog. Tenho certeza que você é uma mãe dedicada e conquistará juntamente com seu filho o que há de melhor para ele neste mundo.
Bjos
Raquel

About This Blog

About This Blog

    © Blogger template by Emporium Digital 2008

Back to TOP