terça-feira, 16 de outubro de 2012

Desabafo


Desde que meu Pedro foi praticamente diagnosticado com síndrome de asperge (digo praticamente porque a psiquiatra ainda não fechou 100% o diagnóstico mas a psicóloga não tem dúvidas, e nem eu)que meus olhos se abriram para uma melhor compreensão das atitudes dele. Ele tem TDAH, e isso todos sabem...mas síndrome de asperge...apesar de aceitar , eu ainda estou me acostumando e tentando cair na real para um fato do qual eu não posso fugir: ele é realmente especial. Ele é diferente. ELE É DIFERENTE. Isso é muito fácil de falar, mas não é tão fácil de conviver e se adequar. É realmente um processo. 
Recentemente as pessoas de nosso convívio social, na igreja que frequentamos pois é o único lugar para praticamente saio, notaram uma mudança muito positiva nele. E era mesmo, porque afinal de contas ele passou a interagir mais com as outras crianças, frequenta a salinha infantil (com crianças menores que ele), e não tem sido violento. Isso é realmente um progresso muito significativo. Mas em casa, quando o efeito do remédio passa, ou mesmo sob o efeito do remédio, quando as tardes chegam, eu me sinto solitária e angustiada. Se ele está sob o efeito do remédio ele passa a tarde inteira como uma sombra minha, dizendo direto que "não tem nada o que fazer".... eu indico muitas coisas para ele tais como, brincar, arrumar o quarto, jogar no computador, olhar seus livrinhos de história, andar de bicicleta, tomar banho de piscina, andar de skate... mas nada é bom o suficiente. Ele grita em plenos pulmões, derruba qualquer coisa no caminho e não faz nada que sugeri. E eu fico sem saber o que dizer ou o que fazer. Se não dou o remédio , ele come descontroladamente, se torna um zombador incorrígivel, me magoa, apronta o tempo inteiro. Na ultima semana piorou muito a situação. Eu fiquei uns dias sem dar-lhe os remédios e não bateu covardemente no primo dele dentro da igreja, debochava de mim, me chamava de animal imundo, me xingava  de bunda, e outras coisas que minha mente, graças a Deus até esqueceu. Hoje ele comentou comigo que avó dele, minha mãe, o achou gordo. Ele disse que não queria ser gordo , para não ficar igual a mim. Isso doeu um pouco...mas não mais tanto. Ele também andou vendo uma propaganda pornográfica , um span que apareceu em um dos jogos dele, e ficou falando isso pra todo mundo, e enquanto mais as pessoas se chocavam mais ele ria e debochava. Claro me culpei muito por não ter pensando que esses malditos spans poderiam aparecer. Mas o que fazer? Se não sãos os spans, são os tristes desenhos animados. Não acreditei quando o vi adquirir uma nova mania: baixar as calças e mostrar o bumbum. Desesperada , perguntei a ele onde ele tinha visto isso e fiquei na vigília para descobrir. E descobri que era um desenho chamado "apenas um show" e "MAD", que passava no cartoon network. Bloqueei todas as censuras dos programas, deixando para ele apenas as censuras livres. Mas ele continua baixando as calças e zombando de nós. Hoje mesmo a noite ele ficou horas rindo de nós, colocando uma bola dentro das calças, tirando e mostrando para nós, nas maiores gargalhadas. Tivemos que intervir...e é sempre um estresse sem tamanho... uma                     grande tristeza. Ontem mesmo eu conversando com meu marido dizia da minha incerteza de sobreviver à infância dele. Tenho muitas coisas sobre mim, inclusive a educação , alfabetização dele. Este ano eu tenho sido sua única professora, tenho tentado alfabetizá-lo. Tenho sido falha, não consigo dar-lhe aulas todos os dias regularmente como planejado, mas tenho eito o possível. Ele está praticamente alfabetizado. Quando quer, consegue ler algumas palavrinhas, mas falta-lhe algo que eu não consigo ensinar-lhe: força de vontade. Tento, tento, tento...e tento. Ele já até consegue escrever os 3 primeiros nomes dele. Graças a Deus por isso. Mas para mim é tudo muito sofrível  pois vejo as limitações dele, e sofro demais com isso. Só consigo pensar que ele fará 10 anos daqui a 6 meses e ainda não está lendo regularmente e isso é um espinho na minha carne e no meu coração. 
Ando cansada... para variar. Preciso cuidar de minha saúde mas realmente não tenho me interessado muito por mim ultimamente... fazer o que?
Eu peço a Deus força...coragem...sabedoria e paciência...paciência...paciência e muita paciência, pois amor, eu tenho...demais.

About This Blog

About This Blog

    © Blogger template by Emporium Digital 2008

Back to TOP